Quar, 24 Jul 2019

 

6º Encontro de Pesquisa na Graduação em Filosofia da UNESP

 

Cassiano Clemente Russo do Amaral

 

RESUMO:

 

Este artigo pretende apresentar uma leitura do texto de Memórias do Subsolo a partir de algumas considerações de Nietzsche sobre o tema do niilismo. Aqui toma-se como perspectiva de leitura a questão do esbanjamento de forças em um contexto de pura negatividade, marcado pela vigência do niilismo e da décadence. Fazendo um paralelo destas observações com o relato do homem do subsolo, é possível pensar o personagem de Dostoiévski como um tipo para o qual a questão sobre um máximo de forças se situa em um plano essencialmente reativo, em um registro que tem o niilismo como a própria “lógica da décadence”, segundo as palavras de Nietzsche. Dito isso, não interessa aos propósitos deste trabalho investigar se Dostoiévski foi niilista, uma vez que esse problema não interessou a Nietzsche. O que interessa é identificar o niilismo em um personagem específico, de uma obra específica, e analisá-lo a partir de categorias nietzscheanas. 

Palavras-chave: Nietzsche. Dostoiévski. Memórias do Subsolo. 

 

Acesse o documento integral em: 

https://www.marilia.unesp.br/Home/RevistasEletronicas/FILOGENESE/CassianoClementeRussodoAmaral.pdf

 

Fonte:

http://www.marilia.unesp.br/filogenese